Fórmula E: as primeiras disputas da temporada

Publicado em quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

“A parceria entre a Fórmula E e a Enel tem uma grande importância estratégica. A Enel compartilha a nossa visão sobre o futuro da energia e nossa intenção de tornar as cidades mais sustentáveis”

– Alejandro Agag, CEO da Fórmula E

Até julho, dez equipes com dois pilotos cada irão competir em metrópoles de todo o mundo. Depois da Argentina, os carros da próxima geração ainda passarão pelo México, Mônaco, França, Alemanha, Bélgica, Estados Unidos e Canadá.

Se você perdeu algum detalhe, fique por dentro de tudo o que aconteceu nas duas primeiras disputas desta temporada!

No coração de Hong Kong, a Fórmula E foi uma tempestade de tecnologia

Uma tempestade de tecnologia atingiu Hong Kong no dia 9 de outubro de 2016. Uma pista montada no coração da metrópole chinesa abrigou a primeira corrida da temporada 2016-17 da Fórmula E. O pódio da disputa reafirmou o favoritismo e as estrelas da temporada anterior, com a vitória de Sebastién Buemi (Renault-e.dams), à frente de Lucas Di Grassi (ABT-Audi), e Nick Heidfeld (Mahindra).

O ePrix de Hong Kong marcou o início da parceria da Enel com o campeonato. Nos boxes, na pista e espalhados por todos os ambientes do evento, nossos técnicos de infraestrutura e rede montaram um sistema especial para capturar parâmetros críticos de energia. Ao longo das várias fases do evento, enquanto os pilotos percorriam os 2km do circuito a 200km/h, o consumo e os fluxos de energia foram monitorados, em tempo real. Além disso, os amantes do automobilismo puderam ajudar os corredores através do FanBoost: ferramenta online que permite destinar uma potência extra de energia para seu piloto favorito.

Velocidade máxima sob o sol de Marrakech, no norte da África

Um circuito em formato de borboleta, medindo 2.97km, com três pistas retas e 12 voltas. O ePrix de Marrakech, realizado em 12 de novembro de 2016, comprovou que a tecnologia é uma grande aliada no combate aos danos ambientais.

A fascinante cidade do Marrocos, com quase 350 dias de sol por ano, foi o local perfeito para refletir sobre o significado e as perspectivas das energias renováveis. Afinal, além da corrida, na mesma semana, a cidade sediou o encontro COP22, Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, na qual a Enel teve participação efetiva.

Até mesmo os pilotos, incluindo Sébastien Buemi (Renault e.Dams), perceberam como é fundamental gerir os recursos de forma inteligente. Durante as primeiras voltas da corrida de Moulay El Hassan, o atual campeão mundial de Fórmula E quase colocou em risco suas chances de vencer a disputa por ter usado muita energia. Sua condução inteligente e furiosa, além de um pit stop perfeito, permitiram que o piloto suíço fosse o primeiro a cruzar a linha de chegada. Sébastien manteve sua liderança no campeonato, terminando a prova na frente do britânico Sam Bird (DS Virgin Racing), do sueco Felix Rosenqvist (Mahindra Racing) e do brasileiro Lucas di Grassi (ABT Schaeffler Audi Sport).

Bem próximo dali, os fãs de automobilismo tiveram a chance de experimentar a mesma emoção dos pilotos, com o novo simulador de corrida alimentado com energia solar, desenvolvido em colaboração com a Enel.

Alejandro Agag, CEO da Fórmula E, e Francesco Venturini, CEO da Enel Green Power, também testaram o volante do carro virtual. No fim da experiência, Venturini fez um balanço da parceria da Enel com a Fórmula E.

 

“Estamos empenhados em elevar o nível de inovação tanto quanto possível, especialmente nos eventos realizados em circuitos urbanos, mais difíceis de abastecer com energia renovável”