Entenda como funciona a composição da sua conta de energia:

Todo ano, a tarifa de energia passa por um reajuste tarifário, definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), órgão responsável por regulamentar todo o setor elétrico. No dia 15 de março, a Aneel aprovou a nova tarifa da Enel Distribuição Rio. Considerando todas as classes de consumidores, o reajuste médio foi de 16,86%, dos quais apenas 4,42% ficam com a Enel Rio para a manutenção do serviço de distribuição e investimentos na rede elétrica de sua área de concessão em 66 municípios fluminenses.

A nova tarifa está vigorando desde o dia 15 de março.

Alguns dos fatores que mais contribuíram para o reajuste foram os impactos do fim do benefício tarifário da Conta-Covid, criada pela Aneel em 2020 para minimizar os impactos da pandemia no setor elétrico, e a alta dos custos com encargos setoriais (6,38%). Vale ressaltar que todos estes fatores, definidos por lei e regulamentação, não são gerenciados pelas distribuidoras de energia, e referem-se a custos que são repassados aos geradores de energia ou a políticas públicas do setor elétrico.

Tarifas de Energia 

Veja o que compõe a tarifa de energia definida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), com base em leis e regulamentos federais:

  •  Impostos; 
  •  Encargos setoriais; 
  •  Custos de geração;
  •  Custos de transmissão de energia. 
  •  Custos de distribuição da energia.

 

Por exemplo:

De uma conta de R$ 100, por exemplo, 79% são repassados ao governo para pagamento de impostos, encargos do setor elétrico, custos para pagar a energia gerada lá nas usinas e sua transmissão até finalmente chegar à rede das distribuidoras. Apenas 21% são destinados à Enel Distribuição Rio de Janeiro para operar, expandir e manter a rede de energia. Veja na imagem a seguir a composição da sua conta:

Outros dois fatores que podem contribuir com o aumento do valor da sua conta são: o maior consumo de energia devido às altas temperaturas no Rio de Janeiro e as diferentes taxas de cobrança do ICMS de acordo com sua faixa de consumo mensal. Entenda mais:

ICMS:

O Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) está previsto no art. 155 da Constituição Federal de 1988 e incide sobre as operações relativas à circulação de mercadorias e serviços. O ICMS é de competência de cada estado, por isso as alíquotas são variáveis.

A Enel tem a obrigação de realizar a cobrança do ICMS diretamente na conta de energia, repassando o valor ao Governo Estadual. 

Veja como a cobrança do ICMS pode variar na sua conta de energia dependendo da faixa de consumo mensal:

  • Clientes residenciais que consomem até 50KWh estão isentos;
  • Clientes residenciais que consomem de 51KWh até 299 kWh pagam 18% de ICMS;
  • Aqueles que têm consumo entre 300kWh e 450kwh pagam 31%;
  • E aqueles que têm o consumo superior a 450kwh pagam 32%.

 

Dicas de Economia:

Em pleno verão é fundamental ter cuidado redobrado com o gasto de energia para não ter surpresas com os valores tanto do consumo como dos tributos cobrados sobre ele no fim do mês. Clique aqui e confira nossas dicas para reduzir seu consumo com pequenas mudanças de hábitos.

Sua conta de energia está de cara nova!

Desde fevereiro de 2022, mudamos o modelo da sua conta de energia para acompanhar o novo formato de nota fiscal eletrônica utilizada em todo o país. Mas não se preocupe. Você continua contando com os mesmos canais de pagamento de sempre, podendo receber a conta com dois tipos de boleto de pagamento: com a marca da Enel ou com a marca do Banco.

Utilize o melhor canal de pagamento para você: débito automático, internet banking, agências bancárias de sua preferência, postos de pagamento autorizados, caixas eletrônicos e lotéricas.

Confira o novo modelo de sua conta com textos explicativos logo abaixo:

Clique aqui para navegar pela sua conta!

Importante:

Se você receber o boleto bancário, aguarde 1 dia útil após a emissão da conta para pagamento (neste período, o boleto será validado pela instituição bancária).

 

Perguntas Frequentes

ENEL