A Energia do Otimismo

Published on Sexta-feira, 26 Março 2021

“Cuba é que como o Brasil, uma mistura de raças. Mesmo assim, quando comecei a estudar aqui me senti insegura, pois na escola quando eu precisava falar em público, as pessoas começavam a rir.”

– Diana Carrillo, Cubana, Brasileira e Otimista

As dificuldades da família aumentaram quando o pai de Diana precisou buscar o Revalida (um exame nacional aplicado a médicos que possuem diplomas de instituições de fora do país) para poder seguir exercendo a profissão no Brasil. Diana precisou sustentar a família por um período. Trabalhava como frentista em um posto de gasolina, sem horário fixo para entrar nem para sair, o que acabou atrapalhando os estudos. Foi neste posto, na cidade de Corrente, que um encontro casual deu início à grande virada na vida de Diana. 

Corrente é uma pequena cidade no extremo sul do Piauí, a mais de 800 km da capital Teresina, numa região com forte vocação para a geração de energia solar. Naquele posto de estrada em Corrente, o poder transformador da energia renovável – que gera oportunidades de desenvolvimento social e econômico em regiões remotas do Nordeste – encontrou a energia do otimismo, que Diana sempre carregou, mesmo nos períodos difíceis. Lá, a jovem teve seu primeiro contato com um time que circulava a cidade trajando uniformes azuis, o time de Operação e Manutenção (O&M) da Enel Green Power, que construiu e opera na região o parque solar São Gonçalo, maior parque solar da América do Sul e que está passando por uma expansão de 256 MW, cujas obras começaram em 2020. 

“Eu lembro como se fosse hoje. Cheguei no posto, ela olhou para o uniforme com o símbolo da enel, e disse: “Eu vou trabalhar com você, na Enel”. Quando isso aconteceu foi uma surpresa muito grata”

– Ian Calazans, Colega de Diana e técnico de O&M na EGP

Em Setembro de 2019, Diana iniciou sua jornada de qualificação para trabalhar no parque por meio de um curso realizado em parceria entre a EGP e a Soltec. Após esse periodo, a jovem teve o primeiro contato com o parque São Gonçalo trabalhando para essa parceira durante a fase de construção e logo em seguida, foi uma das escolhidas no processo de seleção realizado pela EGP para a contratação de mão de obra própria que ofereceu oportunidades de emprego e qualificação profissional para 19 pessoas que vivem na região, para atuarem na equipe de operação e manutenção do parque solar. A determinação de Diana garantiu a ela uma das vagas e renovou suas energias. Hoje, a jovem pode retribuir todo o esforço dos pais na sua educação e na vinda ao Brasil. 

Diana trabalha atualmente como Técnica de Manutenção e sente-se abraçada pela diversidade da equipe, o que permite que ela também tenha contato com pessoas de outros países.

“Aqui na equipe, tanto os homens quanto as mulheres me induzem a ser melhor a cada dia. Na planta solar só eu sou cubana, mas temos italianos, espanhóis e bolivianos. Pessoas que conversam e interagem. Antes eu me sentia afastada do mundo por ser cubana.”

– Diana, Técnica em Operação e Manutenção na EGP

A atividade principal de Diana é supervisionar o sistema de monitoramento dos trackers, equipamentos que permitem que os painéis solares se movimentem para acompanhar a luz do sol e gerar energia da forma mais eficiente possível.

Além das boas surpresas na rotina de trabalho, a jovem conta que se surpreendeu ao ver que, assim como ela, a empresa pratica a sustentabilidade e o pensamento circular, buscando reutilizar ou dar novos significados aos resíduos e ativos que já não servem mais para a operação do parque e reforça que, assim que a pandemia passar, irá liderar um projeto de Economia Circular na empresa, desenvolvendo alguma ação que gere valor não só para a sua atividade, mas para as crianças da comunidade onde ela vive. 

“É uma coisa que vejo que a Enel faz, te ensinar a ser uma pessoa que visa o que você tem e o que fazer com o que já foi utilizado”

– Diana Carrilo, dona de um pensamento Circular

Diana também enxerga hoje na sua profissão um paralelo com o trabalho do pai, sua maior inspiração. Assim como os médicos, acredita que contribui diretamente para o bem das pessoas, mas usando a força da natureza para criar um futuro melhor.  

“O que eu mais gosto no meu trabalho, além dos meus colegas, é o aprendizado. Hoje, com tanto desperdício, com tanto desmatamento, a gente pode reutilizar o que já existe na natureza e transformar em uma coisa boa, que é o que fazemos. Nós usamos o sol para levar energia para as casas, para as cidades. ”

– Diana Carrilo, Técnica de Manuteção e futura mamãe da Thayla

O otimismo de Diana, inesgotável com o sol, é hoje parte da nossa missão de liderar uma transição energética justa, para criar um futuro inovador, sustentável e circular.

ENEL