Enel apoia trajetória de superação de refugiado angolano

Publicado em Segunda-feira, 23 de Julho de 2018

“A vida em Angola estava muito difícil. Eu ganhava muito pouco e quase nunca conseguia ajudar em casa. Minha família apostou em mim e, mesmo tendo passado por diversos obstáculos, estou muito feliz por ter conseguido esse trabalho.”

– Kiala David

Com o emprego temporário na startup apoiada pela Enel, Kiala aprendeu a instalar forros térmicos elaborados com resíduos de embalagens tetra pak em casas do bairro Suruí, em Magé. Agora, noivo de uma jovem carioca, ele já está habituado com o Brasil, envia parte de seu salário para Angola, custeia a educação de dois sobrinhos, além de ajudar em outras despesas de sua família.

Acompanhamento social

A contratação de Kiala só foi possível graças à junção de dois projetos gerenciados pela área de Sustentabilidade da Enel. Enquanto o programa Desenvolver promove acompanhamento social com o objetivo de atender famílias em estado de vulnerabilidade, o Enel Compartilha Oportunidade busca novas oportunidades para que essas pessoas ingressem no mercado de trabalho. 

“Aqui no ‘Nossa Casa’, ele teve a oportunidade de aprender a função de carpinteiro na prática. A ideia é que, com o conhecimento adquirido, ele fique apto a instalar forros não só de tetra pak, mas de PVC, gesso acartonado etc. Foi uma felicidade poder oferecer essa nova qualificação para ele.”

– Gustavo Camozzato

Mariza Rocha, da Diretoria de Sustentabilidade da Enel, comenta que a companhia ofereceu todo o suporte para que o jovem conseguisse aprender um novo ofício: “Além de Kiala, outras 14 famílias de refugiados do Congo e Angola, que residem na área de concessão da Enel Distribuição Rio, estão sendo atendidas pelos nossos projetos. As nossas iniciativas auxiliam as pessoas em termos de empregabilidade, escolaridade, cidadania, acesso a serviços públicos de saúde e aumento da renda familiar.”, completou.