Descubra a Economia Circular

Um novo modelo econômico e uma nova forma de pensar o mundo . Pensar de forma cíclica, restaurativa e e regenerativa é nossa maior tarefa. Estamos pensando de forma circular quando associamos o crescimento econômico ao uso responsável de recursos. Confira mais informações sobre a economia circular no vídeo.

Economia Linear x Economia circular

 

Econimia Linear

Economia Linear

O modelo econômico linear já demonstra claros sinais de esgotamento. Ele é baseado na lógica de "extrair, produzir, consumir e descartar". Essa lógica linear de produção começa com a extração de recursos naturais e termina com o descarte do material produzido, distribuído e consumido. Dessa forma, dentro da lógica da economia linear, os materiais são descartados rapidamente e se transformam em lixo.


Além do esgotamento dos recursos naturais com a busca incessante de matérias-primas para a produção de novos produtos, um grande desafio desse modelo é como lidar com a grande produção de resíduos. Muitos desses materiais, que poderiam ser reaproveitados, vão parar em aterros sanitários ou lixões a céu aberto, ainda presentes em áreas urbanas e rurais.

Esse modelo é insustentável, e a Economia Circular surge como um novo caminho, apresentando soluções eficazes, inovadoras e capazes de gerar valor que se mantém ao longo do tempo.

 

Economia Circular

Afinal, O que é Econimia Circular?

A Economia Circular é um modelo econômico restaurativo e regenerativo, que cria valor sustentável de longo prazo, preservando e aprimorando o capital natural e gerando impactos econômicos e sociais positivos. Pensar em um sistema que tenha fluxos circulares e no máximo e melhor aproveitamento dos materiais é uma das grandes tarefas desse modelo, uma vez que dentro dele os produtos devem ser circulares desde o princípio, pensados desde a sua concepção até o final da sua vida útil


Esse é um modelo estratégico para a otimização dos recursos e da produção, promovendo ainda mais eficácia nos processos industriais e econômicos. Além de evitar descarte, é possível evitar diversos gastos através de estratégias circulares como o reparo, a remanufatura e o reuso, resultando em um sistema um sistema muito mais eficiente e resiliente.

A circularidade é uma solução e uma forma de pensar, por isso, suas diretrizes vão muito além de soluções de reciclagem. É possível ter um sistema circular até mesmo dentro de empresas e indústrias que oferecem serviços. Nessa lógica, a inovação e a sustentabilidade andam juntas, e a vida útil do produto é prolongada e é possível criar novos ciclos de uso e aproveitamento.

Primeiro
Produzir sem resíduos e poluição
Segundo
Manter materiais e equipamentos ao máximo em uso
Terceiro
Regenerar sistemas naturais

Produzir sem resíduos e poluição: O primeiro pilar da economia circular propõe um sistema que produza deixando pra trás cada vez menos resíduos. Assim, começando por fontes renováveis e limpas de energia, é preciso repensar toda a cadeia, desenvolvendo mecanismos que excluam a liberação de gases e resíduos tóxicos dos processos de produção.

Manter materiais e equipamentos ao máximo em uso: O consumo desenfreado e a obsolescência programada experimentada pela sociedade atual fazem com que cada vez mais lixo seja produzido, da mesma forma em que mais recursos naturais são explorados para atender a demanda de consumo. Nesse contexto, pensar um produto com design circular desde sua concepção, permitindo a extensão de sua vida útil, é um dos principais caminhos para atingir um modelo econômico circular. Dessa maneira, pensar estratégias de manutenção, upcycling e reciclagem são parte essencial desse pilar.

Regenerar sistemas naturais: A economia circular tem como objetivo também reequilibrar o ecossistema, promovendo uma convivência harmônica entre os processos humanos e os processos naturais. Desse modo, iniciativas de reflorestamento e proteção de espécies fazem parte de um modelo econômico circular genuíno.

 

 

ENEL