Parque Lapa começa a operar!

Publicado em segunda-feira, 5 de junho de 2017

·         O parque solar, composto pelas plantas Bom Jesus da Lapa, de 80 MW, e Lapa, com 78 MW, tem capacidade total de 158 MW e é o maior parque solar atualmente em operação no Brasil

·         A Enel investiu aproximadamente 175 milhões de dólares na construção do parque solar, localizado no Estado da Bahia.

Roma, Rio de Janeiro, 5 de Junho, 2017 – A Enel, através de sua subsidiária brasileira renovável Enel Green Power Brasil Participações ("EGPB"), iniciou a operação do parque solar Lapa, maior parque solar fotovoltaico atualmente em operação no Brasil. Lapa, localizado em Bom Jesus da Lapa, no Estado da Bahia, é composto por duas usinas - Bom Jesus da Lapa (80 MW) e Lapa (78 MW), com capacidade instalada total de 158 MW.

"A entrada em operação de Lapa é um marco importante para a Enel no Brasil, uma vez que é o primeiro projeto de energia solar fotovoltaica a se tornar operacional este ano, dentre os quatro projetos fotovoltaicos atualmente em construção pelo Grupo no país", afirmou Carlo Zorzoli, Country Manager da Enel no Brasil. "Conseguimos concluir e entregar Lapa com mais de dois meses de antecedência ao prazo estabelecido pelas regras do leilão público de 2015 em que o projeto nos foi concedido, confirmando nosso compromisso de contribuir para o crescimento do setor de renováveis no Brasil e nossa liderança no mercado fotovoltaico do país. Além disso, este projeto vai entregar uma energia tão necessária ao Nordeste brasileiro, que atualmente enfrenta uma grave seca."

A Enel investiu aproximadamente 175 milhões de dólares na construção do parque solar, que é apoiado por contratos de fornecimento de 20 anos, que prevêem a venda de volumes específicos de energia gerada pelas usinas para a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica Comercialização da Energia Elétrica (CCEE).

O projeto Lapa apresenta um design economicamente eficiente, com novas soluções de rastreadores e unidades de conversão que agilizam a construção e comissionamento dos paineis solares das plantas, otimizando a produção. Além disso, uma nova estratégia de comissionamento foi implementada, baseada em forte sinergia com as empresas de construção em campo e num suporte remoto, permitindo a redução de 70% no tempo médio necessário para colocar a planta em operação.   

Lapa está localizada em uma área com altos níveis de radiação solar e irá contribuir significativamente para atender às necessidades do Brasil por geração de energia nova. O parque é capaz de gerar cerca de 340 GWh por ano, o suficiente para atender às necessidades anuais de consumo de energia de mais de 166 mil lares brasileiros, evitando a emissão de cerca de 198 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

O projeto foi concedido ao Grupo Enel em Agosto de 2015 no "Leilão de Reserva", junto com os projetos de energia solar Horizonte de 103 MW e Nova Olinda de 292 MW, que estão atualmente em construção. Durante a construção de Lapa, a Enel desenvolveu diversas iniciativas, como cursos de capacitação de eletricistas, para beneficiar o desenvolvimento social das áreas próximas à usina, em linha com a abordagem de Criação de Valor Compartilhado (CSV).

No Estado da Bahia, a EGPB, subsidiária do Grupo Enel, já opera 264 MW de capacidade eólica e, atualmente, está construindo os parques solares Ituverava (254 MW) e Horizonte (103 MW), assim como os projetos eólicos Morro de Chapéu (172 MW), Delfina (180 MW), e Cristalândia (90 MW).

No Brasil, o Grupo Enel, por meio de suas subsidiárias EGPB e Enel Brasil, possui uma capacidade instalada total em renováveis de 1.464 MW, dos quais 401 MW de energia eólica, 170 MW de energia solar e 893 MW de energia hidrelétrica, bem como outros 442 MW eólicos e 649 MW solares de capacidade atualmente em execução.

A Enel Green Power, divisão de Energias Renováveis do Grupo Enel, dedica-se ao desenvolvimento e operação de energias renováveis em todo o mundo, com presença na Europa, Américas, Ásia, África e Oceania. A Enel Green Power é um líder global no setor de energia verde, com uma capacidade gerenciada de 38 GW que inclui energia eólica, solar, geotérmica, biomassa e hidrelétrica, e está na vanguarda da integração de tecnologias inovadoras, como sistemas de armazenamento dentro de plantas renováveis de energia.