Enel na Lista 'Change the World' da revista Fortune

Publicado em sexta-feira, 08 de setembro de 2017

A Enel está mudando o mundo. O reconhecimento foi dado pela Fortune, importante revista americana de economia, que incluiu o nosso Grupo em sua lista ‘Change the World’. Somos a única empresa italiana a figurar entre os 50 melhores negócios que melhoram a vida do planeta, por realizar atividades sociais e ambientais que fazem parte da estratégia corporativa.

As 50 principais empresas foram selecionadas com base em três critérios: impacto social mensurável, resultados e grau de inovação.

Especificamente, a revista Fortune reconheceu o compromisso da Enel em reduzir a geração de energia por meio de combustíveis fósseis e em produzir seu próprio mix de energia, neutro em carbono, até 2050, objetivo que faz parte do Seeding Energies, Relatório de Sustentabilidade 2016. Um ponto fundamental da nossa estratégia de longo prazo, que se traduz em alguns objetivos claros: redução de 25% das emissões de CO2 até 2020 (em comparação com os níveis de 2007); investimento de 5,2 bilhões de euros no setor de energia renovável entre 2017 e 2019 e na redução gradativa das usinas termelétricas em vários países, além de atividades de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias livres de carbono, utilizando o conceito Open Power, envolvendo stakeholders internos e externos.

Além disso, a Fortune ressalta que a Enel criou a primeira usina geotérmica da América do Sul, em Cerro Pabellòn, no Chile, e que, nos últimos dois anos, a Enel participou de 80 projetos inovadores com startups de vários países em áreas como mobilidade elétrica, incluindo a identificação de novos modelos de negócios, tais como a tecnologia Vehicle-to-Grid que transformará carros em baterias móveis e que já foi lançada comercialmente na Dinamarca.

A pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias inovadoras são cruciais para fornecer energia sustentável e acessível a mais de um bilhão de pessoas que não tem acesso à energia elétrica, para tornar o uso da energia mais eficiente na produção industrial e nas áreas urbanas e atingir o objetivo de neutralizar a emissão de carbono.

O conceito Open Power permeia a estratégia de desenvolvimento da Enel e é baseado em cinco diferentes pilares: abrir a energia para mais pessoas; abrir a energia para novas tecnologias; abrir novas formas para que as pessoas gerenciem a sua própria energia; abrir a energia para novos usos; abrir novas parcerias.

Como parte do nosso Plano Estratégico, estamos formalmente comprometidos com 4 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (4, 7, 8 e 13) que consideramos capazes de oferecer valor a longo prazo para todas as partes interessadas no nosso negócio.

A Enel está profundamente comprometida com o setor de energia renovável e com a pesquisa e o desenvolvimento de novas tecnologias ecológicas. Em 2016, 46% da nossa geração não resultou na emissão de dióxido de carbono, tornando a Enel um dos principais produtores mundiais de energia limpa. Nosso negócio não está apenas vinculado aos resultados econômicos, mas também à capacidade de gerar soluções e impactos positivos no crescimento econômico e social a longo prazo. A criação de valor compartilhado entre a empresa e todos seus stakeholders é fundamental.

O modelo leva em consideração a entrada (renováveis, sustentabilidade, eficiência etc) e a produção (reciclagem, reutilização etc) de energia e de materiais, assim como o nível de uso dos recursos.

Implementamos soluções inovadoras e sustentáveis para atender às necessidades dos nossos clientes, promover o acesso à energia, à eficiência energética, sabendo que, no futuro, a eletricidade será primordial na descoberta de tecnologias inovadoras, por isso, devemos facilitar o acesso de todos.

 

A lista Change the World foi compilada pela FSG, consultoria sem fins lucrativos ativa no trabalho social, e a Shared Value Initiative, uma rede global que reúne empresas que buscam soluções para os desafios sociais. Antes de publicar a lista das 50 empresas, uma equipe de jornalistas da revista examinou os candidatos, com base nos relatórios e análises disponíveis.