Resíduo de embalagens garantem conforto térmico para famílias do Rio de Janeiro

Publicado em Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

“Antes, entre 10h e 15h, a gente não tinha condições de ficar em casa. Minha filha de nove anos reclamava bastante de dor de cabeça. Só agora eu percebi que era por causa do calor. Esse forro melhorou muito a temperatura e a nossa vida!”

– Simone Conceição, moradora beneficiada pela start-up

O projeto começou a ser realizado no verão do ano passado. Na primeira etapa, a start-up instalou forros térmicos em oito casas da comunidade Jardim Bom Retiro, em São Gonçalo, que eram cobertas por telhas de amianto. O idealizador do Nossa Casa, Gustavo Camozzato, comemora os resultados surpreendentes da iniciativa:

“Nós instalamos termômetros para medir a temperatura das residências, antes e depois da implantação. Com isso, identificamos que as embalagens Tetra Pak são capazes de reduzir a temperatura interna das casas em até 9ºC. Agora, com o apoio financeiro e logístico da Enel, expandimos o projeto para mais 40 residências no município de Magé”

– Gustavo Camozzato

Uma consultoria de eficiência energética foi contratada para dar suporte à essa segunda fase do projeto. A ideia é acompanhar o desempenho dos equipamentos elétricos e identificar se a redução da temperatura interna é capaz de propiciar também uma redução do consumo de energia, principalmente em aparelhos como geladeira e ar condicionado.

“Eu passo muito tempo dentro de casa e, quando sentava para almoçar, ficava suando por causa do calor. Hoje, não estou mais precisando ligar o ventilador nem o ar condicionado, o que representou uma economia importante na minha conta de luz”

– Geraldo Evangelho, morador do Jardim Bom Retiro

Além do Grupo Enel, o projeto Nossa Casa também é apoiado tecnologicamente pelo Flumat, Grupo de Fluidos e Materiais Poliméricos Multifásicos, do Instituto de Química da UFRJ.

Economia circular: tudo acontece na comunidade

Durante a fase de implantação no Jardim Bom Retiro e segunda etapa em Magé, além de capacitação profissional, geração de empregos e do envolvimento de fornecedores locais, o projeto reaproveitou mais de 600 quilos de embalagens Tetra Pak:

“Eu já tinha trabalhado com reciclagem, mas nada parecido com esse projeto. Foi surpreendente porque eu nunca imaginei que o tratamento de embalagens simples, como a de caixas de leite, poderia diminuir o calor dentro das casas da nossa comunidade”

– Rosimery Ferreira, trabalhadora do projeto.

Para realizar a instalação do forro nas 40 casas de Magé, 10 pessoas foram contratadas para selecionar, abrir, cortar e limpar as embalagens, além de sete carpinteiros e dois profissionais para trabalhar na parte administrativa.

“Eu estava sem emprego e hoje consigo pagar a escola do meu filho e manter minha casa. O legal é que estamos trabalhando de uma maneira sustentável, tirando lixo das ruas. Está sendo muito gratificante”

– Marta do Rosário, trabalhadora do projeto.

Para implantar um forro térmico em uma casa de 45 m2 são necessárias cerca de 900 embalagens Tetra Pak. Por conta disso, a colaboração dos moradores locais é essencial. Afinal, o reaproveitamento do lixo local beneficia a própria comunidade, pois evita a proliferação de insetos e roedores. 

Start-up foi aprovada durante programa interno que valoriza as ideias dos funcionários

A proposição de soluções inovadoras e o incentivo à criação de novos modelos de negócios fazem parte da estratégia corporativa do Grupo Enel. A start-up Nossa Casa foi idealizada por Gustavo Camozzato, então Coordenador de Comunicação da Enel Green Power. O colaborador apresentou o projeto em outubro do ano passado, durante a seleção do programa Inspire Empreendedores:

“É muito gratificante poder inovar e empreender dentro da empresa. Além de podermos validar nossas ideias, o programa interno de empreendedorismo nos proporciona um excelente aprendizado sobre inovação. Para mim é um prazer fazer parte deste processo.”

– Gustavo Camozzato, idealizador do projeto Nossa Casa

Criado em 2015, o Inspire Empreendedores é um programa de inovação voltado para os funcionários da Enel, com foco no desenvolvimento de novos produtos ou serviços com alto potencial de crescimento. Além de aporte financeiro, as iniciativas aprovadas recebem a consultoria de uma aceleradora de start-ups e os funcionários podem se licenciar de seus cargos por até 1 ano e 6 meses para investir em seus projetos.