Enel Innovation World Cup, a competição de inovação da Enel

Publicado em quinta-feira, 16 de novembro de 2017

“Incentivar o espírito empreendedor, criar novas habilidades, investir diretamente em nossos funcionários para gerar novos negócios: esta é a Enel que queremos e que já temos!”

– Ernesto Ciorra, Diretor de Inovação e Sustentabilidade

Uma nova maneira de trabalhar

Os vencedores receberam várias formas de apoio, como treinamento na metodologia “Lean Startup”, assistência de um "mentor de inovação" para cada país, acesso a incubadoras iniciais (na Itália e no Brasil) e um patrocinador específico para cada equipe. No entanto, o diferencial de uma grande empresa como a Enel tem sido a possibilidade das equipes dedicarem tempo ao desenvolvimento de seus negócios. Nos 18 meses estabelecidos para o desenvolvimento de projetos, os grupos de trabalho conseguiram dedicar 20 a 50% de suas horas normais de trabalho, enquanto o impulso e a paixão de alguns dos envolvidos os levou a trabalhar em seus projetos também durante seu tempo livre.

O departamento de Inovação e Sustentabilidade da holding coordenou o projeto, estabelecendo um diálogo com as partes envolvidas, a fim de garantir a eficácia nas diferentes fases.

Por meio da adoção do método "Lean Startup", o trabalho começou criando um produto com base simples (mínimo produto viável), economizando os custos de produção e reduzindo o tempo total necessário para o desenvolvimento dos produtos. Graças à Enel Innovation World Cup, a criação tornou-se participativa. Este conceito é semelhante à apresentação ao público de uma escultura que tem forma definida, mas que ainda está sendo aperfeiçoada. Com a ajuda do futuro consumidor, podem ser feitas intervenções nas características para que o produto final esteja perfeitamente em linha com os requisitos do cliente. Além disso, esse processo evita o uso excessivo de recursos.

“Ser capaz de realizar o seu sonho empreendedor é uma grande satisfação. Experimentar, não desistir quando se deparar com as dificuldades e se libertar do medo do fracasso é a melhor maneira de alcançar este objetivo”

– Daniela Ferraro, Sênior em Inovação

Os resultados

Na primeira edição, recebemos 880 inscrições. Apenas quatro meses após o lançamento, chegaram novas 98 propostas de negócios de todos os países onde o Grupo Enel atua. Destes, 36 foram selecionados e, em maio de 2016, chegamos a 22 projetos. Eles participaram de um processo de seleção regional realizado por uma comissão composta por diretores de cada país, ganhando a oportunidade de desenvolver as empresas nos 18 meses seguintes e, em alguns casos, também receber financiamento.

Esta iniciativa internacional teve como destaque o Chile e a Espanha, com cinco vencedores cada, a Itália com quatro projetos, seguidos por Colômbia, Brasil e Rússia com dois projetos cada e Argentina e Estados Unidos, ambos com um projeto.

Os projetos vencedores

Alguns dos projetos mais interessantes foram aqueles que poderiam ser lançados imediatamente no mercado. Entre estes, o Brasil aperfeiçoou uma bateria portátil que poderia ser deslocada para várias cidades e também um sistema de mapeamento móvel para detectar problemas com a rede de distribuição. No Chile, um serviço de consultoria integrada foi desenvolvido para incentivar que pequenas e médias empresas substituíssem equipamentos elétricos obsoletos e para projetar sistemas de energia que melhorassem o aquecimento no inverno e o uso do ar condicionado no verão. A Colômbia apresentou um canal de pagamento on-line que reduz os riscos relacionados às transações dos clientes, além de um cartão inteligente recarregável em pesos, através do qual é possível obter energia em qualquer ponto da cidade. A Itália criou uma plataforma de crowdfunding para a instalação de painéis solares, um serviço para monitorar a energia produzida e também um sistema para recarregar veículos públicos semelhantes aos usados ​​para drones em movimento. A Rússia trouxe um serviço de carros elétricos compartilhados, enquanto a Espanha se concentrou na comercialização de tecnologia de energia eólica de segunda mão e em uma base de dados para compartilhar equipamentos elétricos. Já o projeto dos Estados Unidos desenvolveu um sistema portátil de armazenamento de carga para permitir a venda de energia durante os picos no consumo sazonal.

No fim da primeira edição, a Enel Innovation World Cup mostrou-se duplamente útil em relação aos objetivos da empresa: proporcionou discussões internacionais sobre criatividade e experimentação, além de promover um estilo gerencial centrado na "tomada de riscos". Uma abordagem empresarial que resume a cultura de inovação da Enel.

Dois objetivos em sinergia alcançados por uma iniciativa que certamente será repetida.