Unidos contra o Aedes Aegypti

Publicado em terça feira, 13 de junho de 2017

“Eu estou numa fase crítica da doença. No meu bairro está todo mundo doente. Toda ajuda é válida e acredito que esse apoio fará diferença, pois os leituristas são nossos conhecidos. Nosso Estado precisa de uma vistoria séria para combater esse mal”

– Maria Helena de Sousa, moradora do bairro Jacarecanga, em Fortaleza

A partir deste mês, os funcionários responsáveis pela leitura dos medidores de energia passarão a identificar possíveis focos do mosquito nos imóveis fechados ou abandonados. Além disso, durante as visitas domiciliares, eles perguntarão aos moradores sobre a ocorrência de casos de dengue, chikungunya e zika na vizinhança. A cada dois dias, um relatório com as informações colhidas será repassado para o Núcleo de Controle de Vetores.

“Como empresa socialmente responsável, sentimos a necessidade de auxiliar o poder público. Essa é uma luta de toda a sociedade e colocamos à disposição todos os nossos leituristas. Por meio deles, temos acesso a praticamente toda a população do Ceará e poderemos ser mais um braço no combate às doenças”

– Ronaldo Freire, Responsável pela Área de Governo da Enel Distribuição Ceará

Os leituristas foram treinados para prestar essa assistência. Cada funcionário visita em média 390 unidades consumidoras por dia. Isso significa que, diariamente, pelo menos 170 mil empresas e residências serão monitoradas. O leiturista Francisco Negreiros, comemorou a parceria e está feliz por contribuir com a iniciativa:

“Essa ação é fruto de uma parceria muito importante pois nós temos acesso a todo o estado. Se todos nos reunirmos e focarmos nesse trabalho, teremos ótimos resultados”

– Francisco Negreiros

Cuidados devem começar dentro de casa

A maioria dos focos do Aedes aegypti está dentro das casas. É preciso manter os quintais sempre limpos, recolher, eliminar ou guardar longe da chuva todo objeto que possa acumular água, como pneus, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos.

Além disso, o lixo doméstico deve ser acondicionado em sacos plásticos e descartado adequadamente, em depósitos fechados. Uma outra opção é o Ecoenel, programa que troca resíduos sólidos por bônus na conta de energia.

Entenda os sintomas

Se você vive ou viajou nos últimos 14 dias para áreas onde esteja ocorrendo a epidemia e apresenta febre alta, dor de cabeça, dores nos ossos e nas articulações, dores atrás dos olhos, perda do paladar e apetite, manchas e erupções na pele, náuseas, vômitos, tonturas e extremo cansaço, procure um médico. Para mais informações, ligue 136 e fale com o Disque Saúde.

“A gente se esforça muito para ajudar o bairro. Infelizmente, não temos uma quantidade tão grande de agentes de saúde. Acredito que a Enel vai ser muito eficaz nesse trabalho e poderá fazer a diferença no combate à doença”

– Jesus Ferreira, Presidente da Associação dos Moradores da Vila São José

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado em 2 de junho, o Ceará confirmou, somente neste ano, 9.755 casos de dengue, com cinco óbitos, 25.533 casos de chikungunya, com 20 óbitos, e 284 casos de zika. Dos 179 municípios do Estado, 124, ou seja, 70% das cidades cearenses tiveram pelo menos um habitante infectado.