Orquestrando oportunidades

Publicado em Domingo, 20 de novembro de 2016

“Temos a oportunidade de transmitir aos alunos a importância do trabalho coletivo, da interação com o outro, da disciplina para se alcançar resultados. A diferença que a orquestra faz na vida desses jovens extrapola os limites da sala de aula, é algo que eles levam para a vida. É impressionante e emocionante a relevância que isso tem para eles”

– Eliseu Ferreira da Silva, maestro

Eliseu é licenciado em Educação Artística, com bacharel em Clarineta e mestre em Performance Musical pela Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás.

Em 2009, veio o patrocínio da Enel à Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás - OSJG, e com ele, a possibilidade de comprar instrumentos de sopro, antes emprestados tanto para ensaios quanto para as audições.

Para Eliseu, dentre as apresentações realizadas pelos jovens da OSJG em diferentes cidades brasileiras e no exterior – em 2011, eles fizeram um espetáculo na Espanha – uma turnê foi especial: a participação no programa Descobrindo a Música, com 10 concertos do grupo por cidades do interior de Goiás, onde muitas crianças e adultos sequer tinham visto uma orquestra. A partir, daí acalentou-se um projeto de inclusão social e cultural que iria muito além dos espetáculos. Nascia, em 2013, o projeto Sinfonia do Amanhã, uma escola de música para crianças e jovens no município de Cachoeira Dourada - GO.

Com o objetivo de atender crianças e adolescentes – a maioria com renda familiar muito baixa – de Cachoeira Dourada (GO), Itumbiara (GO) e Cachoeira de Minas (MG), a escola oferece aulas gratuitas de violino, viola clássica, violoncelo, contrabaixo, violão, flauta-doce, coral e instrumentos de metal para 80 alunos com idade entre 8 e 18 anos. A prática musical em orquestra é feita de forma combinada com acompanhamento social e pedagógico dos alunos.

Um novo mundo abria-se para os novos músicos: já em 2014, o grupo participou de uma turnê por sete cidades brasileiras e depois fez apresentações em Roma, na Itália. Os meninos tocaram como gente grande. Alguns deles, os que mais se destacam, são convidados a participar da Orquestra Jovem de Goiás.

“Essas crianças e jovens descobriram outro universo musical além da TV e do rádio. Eles apresentam resultados melhores na escola, se comunicam melhor. São impactados de uma forma muito positiva. Nosso sonho é expandir essa oferta. E já está sendo costurada uma parceria com o governo do estado para levar o projeto a mais 10 cidades goianas, especialmente locais de vulnerabilidade social”, conta Eliseu, que é diretor executivo e artístico do Projeto Sinfonia do Amanhã.

Em 2016, visando ampliar e fortalecer projetos já apoiados em diferentes localidades em que está presente, a Enel criou uma plataforma que integra 18 escolas de educação musical e passou a beneficiar mais de 2.500 alunos do Rio Grande do Sul, Goiás e do Ceará, tornando-se uma grande rede colaborativa.

De acordo com Débora Pinho, responsável pela área de Integração com o Entorno Social da Enel Brasil, a Plataforma Sinfonia do Amanhã une os projetos de diferentes localidades e realidades, fazendo com que todos sejam fortalecidos, além de permitir o compartilhamento de boas práticas. “Isso possibilitará o desenvolvimento e a sustentabilidade dos projetos musicais e educacionais e a ampliação dos benefícios ao público de crianças, adolescentes e jovens participantes”, afirma.